O SEGREDO DOS LEITORES CAMPEÕES

sábado, 28 de maio de 2016

Curiosidades de como (e o que) o brasileiro lê

Quantos livros passaram pelas suas mãos no último ano? Se acompanhar a média brasileira, você terá lido 4,96 obras, de acordo com pesquisa divulgada recentemente pelo Instituto Pró-Livro.
Na conta, entram desde os livros devorados por inteiro até aqueles que tiveram apenas alguns de seus capítulos consultados. O número é maior do que o registrado em 2011, quando o estudo foi realizado pela última vez. Na época, a média de obras lidas era de 4 por habitante.
"Nesse período, o nível da escolaridade do brasileiro aumentou", diz Marcos da Veiga Pereira, presidente do Instituto Pró-Livro. "O interesse dos jovens pelos livros também cresceu consideravelmente. A indústria reagiu a isso, com mais lançamentos voltados para essa faixa etária". 
O levantamento mostra, ainda, que há no país 104,7 milhões de leitores (o que equivale a 56% da população). A pesquisa considera como leitor quem leu, ao menos, um livro nos últimos três meses. Entre as mulheres, 59% têm o hábito da leitura. Já no grupo dos homens, o percentual é menor: 52%.
A Bíblia foi citada pelos entrevistados como a obra mais marcante de suas vidas. Na mesma lista entram também livros como O Pequeno Príncipe (1943), do francês Antoine de Saint-Exupéry e Cinquenta Tons de Cinza (2015), da inglesa Erika Leonard James.
Abaixo, você encontra outros aspectos curiosos da relação do brasileiro com os livros. Todos os números foram extraídos da 4° edição da pesquisa Retratos da Leitura, feita pelo Ibope. Para ela, foram consultadas cerca de 5 mil pessoas de todo o país entre os dias 23 de novembro e 14 de dezembro de 2015.

O conselho dos 'superleitores' para ler mais rápido "Incrível"

Os conselhos dos 'superleitores' para ler mais rápido


Compartilhar

Foto: ThinkstockImage copyrightTHINKSTOCK
Image captionQuer aumentar sua velocidade de leitura? Entender o funcionamento do cérebro pode ajudar

Agatha Christie lia 200 livros por ano, enquanto que o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, termina um a cada duas semanas. O ex-presidente dos Estados Unidos Theodore Roosevelt lia um livro por dia e até dois ou três, se tinha uma noite mais tranquila. Mas como as pessoas em geral podem conseguir fazer isso?
Harriet Klausner, uma bibliotecária de escola americana que morreu no ano passado era ou uma das leitoras mais rápidas da história ou alguém que "economizava" bastante na hora de falar a verdade.
Ela fez surpreendentes 31.014 críticas de livros na Amazon, o que significava que chegou a ler seis livros por dia. Mas nem todos aceitam este número e um grupo de críticos chegou a tentar desacreditá-la.
Klausner se defendeu dizendo que alguns dos romances que lia eram tão curtos e fáceis que lhe tomavam apenas uma hora. E ofereceu outra explicação simples para sua rapidez de leitura: "Se um livro não me interessa até chegar na página 50, deixo de lê-lo", afirmou ao jornal americano Wall Street Journal.
Seus feitos podem ser fantásticos, mas a vontade de poder ler mais é comum a muitos de uma geração frequentemente distraída por séries de televisão, jogos de futebol e tópicos mais comentados no Twitter, que tem cada vez mais dificuldade de encaixar a leitura em suas vidas.

Um livro a cada 2,4 dias

John Sutherland, autor, crítico de livros colunista e professor emérito de Literatura Inglesa Moderna na universidade UCL, em Londres, diz que em 2015 leu aproximadamente 150 livros.
"É bastante", afirma. E o fato de que ele os lê em seu tablet permite passar as páginas em alta velocidade.
"Desse jeito não fico com o dedo dormente e também evito que o próximo leitor contraia uma doença", brinca.

Foto: ThinkstockImage copyrightTHINKSTOCK
Image captionLer livros em tablets pode facilitar ir de um para o outro mais rapidamente

A vida de um leitor profissional, no entanto, depende de sua capacidade de avançar pelas palavras o mais rápido possível, retendo o máximo de conhecimento que puder.
No ano passado, Sutherland terminou um livro aproximadamente a cada 2,4 dias. "Passo quatro páginas de vez se tiver que fazê-lo", afirma.

Dois mil em uma vida

Quando estava na escola, o britânico Tony Buzan fez um teste de velocidade de leitura, que detectou sua capacidade de ler 213 palavras por minuto. "Pensei que era um leitor muito rápido. Mas perguntei a uma garota da minha sala o resultado dela, e ela tinha conseguido 300. Me senti péssimo."
Decidido a melhorar suas habilidades, Buzan praticou leitura rápida em casa e pesquisou sobre a física do olho. Ele também aprendeu sobre focalização ocular e sobre o agrupamento de palavras para poder lê-las como um só fragmento.
Ele descobriu, por exemplo, que era possível ler mais rápido depois de fazer exercícios físicos. E em pouco tempo dobrou sua velocidade de leitura.
Hoje ele é consultor de leitura rápida e memorização, e acredita que o número de livros que lemos é, sim, importante.
"Em vez de ler, não sei, mil livros na minha vida, agora talvez leia dois mil. Isso pode mudar minha existência", afirma.

Foto: PAImage copyrightPA
Image captionSegundo uma das "superleitoras", vale usar cada 15 minutos livres para dar prosseguimento a um livro

Eis os seus conselhos para ler mais livros:
  • Aprenda a usar seus olhos para ler mais rapidamente;
  • Fique em boa forma física, para que o seu cérebro tenha mais oxigênio;
  • Aprenda a memorizar capítulos e até livros inteiros;
  • Leia sobre o cérebro e seu funcionamento;
  • Crie um grupo de leitura rápida e estudo com seus amigos.

Seletividade

Considerando a velocidade média com a qual alguém diz 300 palavras por minuto, um leitor leva cerca de um minuto para terminar uma página. Portanto, para ler um livro de 300 páginas por dia, o leitor médio deveria reservar 35 horas semanais.
"Há uma quantidade de livros limitada que eu consigo ler ao longo da minha vida, e não vou perder tempo com lixo", afirma o colunista do jornal britânico Sunday Times e crítico de livros Jenni Russell. Ele acredita que, com a idade, devemos nos tornar mais seletivos.
"Quando somos jovens sentimos uma curiosidade grande por outras pessoas, como elas pensam e o que sentem. Agora, um escritor precisa ter uma habilidade exemplar ou uma perspectiva interessante para chamar minha atenção."
Quando era criança, Russell lia até 20 livros por semana. Agora, lê três por mês.
E qual seria o melhor conselho de um dos superleitores para enfrentar um ano de leitura?
"Meu conselho é entediar-se", afirma o professor John Sutherland. "Minha infância foi muito entediante, e ler foi uma boa maneira de passar por grandes períodos de tédio."

Foto: GettyImage copyrightGETTY
Image captionDurante período na prisão, Trotsky lia sobre mais variados assuntos, da manhã até a noite

Um pouco a cada 15 minutos livres

O revolucionário russo Leon Trostsky também se aproveitou do tédio para ler. Durante os dois anos que passou na prisão, lia da manhã até a noite. Desde a ficção clássica europeia, passando pelas pesquisas de Darwin até as teorias de Lênin sobre o comunismo.
A ex-professora de leitura da universidade de Dorchester, na Inglaterra, Ginny Williams-Ellis fundou a organização beneficente Read Easy para ajudar pessoas analfabetas.
"Os livros não são prioridade para as pessoas com quem trabalhamos. A motivação delas é aprender a ler listas de compras, etiquetas de latas, jornais, as palavras da vida diária", explica.
Mas o aprendizado frequentemente leva alunos a se tornarem aspirantes a superleitores.
"Muita gente se emociona quando aprende a ler. Trabalhamos com uma cabeleireira que agora lê um romance por noite."

Foto: ThinkstockImage copyrightTHINKSTOCK
Image captionEstar em boa forma física oxigena o cérebro e ajuda a ler mais

Russell entende a fascinação. "Nas nossas vidas, só vemos a superfície das pessoas. A ficção nos leva a suas mentes, a seus pensamentos e motivações. Os romances nos levam a lugares que de outra forma nunca veríamos. A leitura pode ter um efeito surpreendente sobre nós."
A jornalista e "treinadora" literária Glynis Kozma aconselha os leitores a tirarem alguns minutos de cada um dos seus compromissos para ler.
"Em vez de pensar que o que você precisa é sentar-se e ler durante uma hora, tente utilizar pequenas quantidades de tempo", diz,
"Leia durante 20 minutos, enquanto espera o jantar ficar pronto no forno. Use cada 15 minutos livres que tiver."
Kozma tenta ler um livro por mês, mas nem sempre consegue. "Acho que muita gente se sente culpada com relação à leitura. Estamos todos tão ocupados que fica difícil justificar o uso do tempo livre", conclui.

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Ministro da Educação recebe Alexandre Frota ?

Fecha 62,84 mil vagas de trabalho formais em abril Só em 2016

 Já são 378 mil vagas fechadas; em 12 meses, são 1,82 milhão. Na comparação com abril de 2015, porém, as demissões desaceleraram.
As demissões de trabalhadores com carteira assinada em abril superaram as contratações em 62,84 mil, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quarta-feira (25) pelo Ministério do Trabalho.
Foi o décimo terceiro mês seguido de fechamento de vagas com carteira assinada. O último mês com contratações acima das demissões foi março do ano passado, quando foram criados 19,2 mil postos de trabalho.